A ad:tech London é uma das maiores conferências sobre marketing digital que reúne grandes empresas e as principais agências da área. A Agência Sawi também esteve presente, representada pelo seu Diretor Executivo Filipe Carpes. Nesse evento teve a oportunidade de acompanhar a palestra de: Josh Bernoff (Senior Vice President, Idea Development, Forrester Research) sobre dinâmicas da influência pessoal. Leia mais sobre esse assunto no texto a seguir que foi desenvolvido pela agência.
Para entender como funcionam as redes, é preciso perceber que a tecnologia hoje é fundamentada em 4 pilares:

  • Inteligência móvel
  • Vídeos persuasivos
  • Tecnologias sociais
  • Computação em nuvem

Um dos exemplos de como uma única pessoa pode criar algo com grande impacto é o vídeo United Breaks Guitars, criado pelo músico Dave Carroll para reclamar que a empresa aérea quebrou seu violão. O vídeo atingiu 9 milhões de visualizações, com repercussão em diversas mídias.

Um outro exemplo é do Giffgaff, uma rede móvel cujo mote é “dirigido por seus membros”. Na comunidade, que faz às vezes de suporte, 95% das questões são respondidas por voluntárias em até uma hora.

Há também um caso bastante comentado, da rede Best Buy.  Um executivo estava viajando, quando percebeu problemas no cabo do seu GPS. Enviou uma pergunta pelo twitter, quando a Best Buy respondeu indicando a loja mais próxima, onde os funcionários já o aguardavam. Aproveitando a ida, o executivo ainda comprou um filme para seu filho, um aparelho de blue-ray para tocá-lo e ainda um ipad que havia prometido.

O mais importante não é o resultado direto dessas ações, mas desse modo a empresa ganha fãs., que além de comprarem, recomendam aos amigos.

Um uso interessante e simples das multidões é um estádio de futebol, com poucos seguranças. Em todos os lugares há um número de sms para o qual as pessoas podem enviar alertas de movimentos suspeitos no estádio.

Ou seja,  o que podemos tirar desses exemplos é que quando as pessoas querem algo, elas querem na hora, com rapidez e sem enrolação.  As empresas precisam estar preparadas para essa nova realidade.