Já não é de hoje que as pessoas leem artigos na internet e postam em seus murais do Facebook – ou um simples “curtir” na notícia já faz todo o trabalho. Mas a ideia de compartilhar o que você anda lendo com seus amigos pode ficar ainda mais interessante.

Tudo porque com a Open Graph, a nova plataforma de desenvolvimento do Facebook, as pessoas não estão mais limitadas somente ao “curtir”. Com os aplicativos desenvolvidos nesta, será possível mostrar que o usuário está realizando outras funções dentro da rede social, como “assistir”, “ouvir”, “jogar”… e no Brasil já é possível desfrutar um pouco do “ler”, presente nos chamados Social Readers.

Social Reader

Ainda são poucos os Social Readers dentro do Facebook – o The Guardian e o Washington Post são exemplos que vieram assim que o novo modelo foi lançado na conferência f8 – mas a tendência é que esses aplicativos se tornem cada vez mais populares.

Dentro dos Social Readers é possível ver o que seus amigos estão lendo, e também saber quais são as notícias mais lidas. Em plataformas simples, os artigos são apresentados ao usuário e cabe a ele definir os seus interesses, estes que poderão ser mapeados para dispor, no futuro, informações mais relevantes do ponto de vista dele.

A única coisa a se preocupar com o Social Reader é que o usuário deve pensar bem antes de abrir uma notícia, já que tudo vai para os feeds de notícias. Ou seja… imagine só o que seus amigos começariam a pensar se você por acaso se interessasse em ler notícias sobre gravidez, por exemplo.

No entanto, o aplicativo deve ser, em primeira instância, uma inovação essencial para acabar com a banalização do “curtir”. Porque tudo bem que você leu, mas isso não quer dizer necessariamente que você curtiu…

Para conhecer

Washington Post Social Reader 

The Guardian