O Linkedin foi lançado oficialmente em 5 de maio de 2003 por seus cinco sócios através do envio de 350 convites as pessoas mais influentes que conheciam. Mesmo com pouco tempo a rede teve um grande crescimento ao atingir meio milhão de usuários pouco antes completar um ano de existência.

Com isso, sua principal função é a busca de conexões profissionais através de pessoas conhecidas e de confiança. As conexões podem ser diretas ou indiretas aumentando as chances de oportunidades. Assim, os usuários podem preencher o perfil com suas informações pessoais e principalmente profissionais como formação, experiência, outros atributos e atualmente compartilham status e foto em sua página pessoal.

Seu sucesso se baseia no fato de ser um website que facilita a procura de oportunidades pelo usuário, incentiva o networking e é muito utilizada pelos Headhunters no mundo todo. Devido a crise, o desemprego elevou em alguns países ao mesmo tempo que a demanda de mão-de-obra qualificada aumentou em outros, fazendo com que o Linkedin tivesse um enorme crescimento mundial.

Atualmente, o website possui mais de 80 milhões de usuários em mais de 200 países sendo que metade desse número está fora dos Estados Unidos. Dessa forma, o Linkedin tem cerca de um usuário novo a cada segundo atualmente, evidenciando o quanto essa rede ainda cresce e pode evoluir. Seus perfis de usuário principais são executivos, profissionais qualificados e Headhunters. No entanto, não se pode esquecer que existe a participação ativa das empresas que não só estão presentes nessa rede, mas também em diversas mídias sociais.

Apesar de seu grande sucesso e número de usuários, o real lucro dessa mídia social vem do serviço “Linkedin Corporate Solutions” que é uma ferramenta voltada a empresas de Recursos Humanos. Além desse, outras fontes de lucro da empresa são a publicidade e os assinantes premium. Esse último consiste em um conjunto de ferramentas do site que auxiliam os usuários a encontrar melhores oportunidades de emprego.

Com as empresas participando cada vez mais das mídias sociais para aumentar sua competitividade é possível prever que o Linkedin ainda pode crescer bastante e aprimorar ainda mais seus serviços e funções. Essa tendência pode proporcionar maior interação profissional fazendo com que isso ocorra em um nível verdadeiramente mundial. Além disso, a empresa planeja abrir seu capital em 2011 colocando-a na frente do facebook que não fará o mesmo até o final de 2012. Sendo assim, essa vantagem deverá abrir espaço para seu desenvolvimento e competitividade frente as outras mídias sociais.

Fonte:
Terra Notícias
Press Linkedin
Mundo das Marcas