Qual é o melhor, Google Chrome ou Internet Explorer? Essa questão repercutiu fortemente nesses últimos meses após uma divulgação da StatCounter afirmando a liderança do Chrome, um fato nunca visto antes. A empresa, responsável por estatísticas globais de tráfego na web, divulgou em maio deste ano uma pesquisa que aponta o navegador do Google como o mais utilizado no mundo, ultrapassando o Internet Explorer, líder indiscutível até então.

guerra dos browsers
             Infográfico que mostra a situação da guerra dos browsers no Brasil, retirado do site da StatCounter.

A partir disso, a Microsoft, empresa detentora dos direitos do Internet Explorer, não perdeu tempo e, no mesmo mês, rebateu os dados divulgados com uma resposta de Roger Capriotti, seu diretor de operações, defendendo que o Internet Explorer continua no topo das posições.

Segundo Capriotti, “… Existem atualmente duas fontes primárias para compartilhar dados: Net Applications e StatCounter. Embora ambas forneçam dados detalhados de utilização do navegador, as duas são muito diferentes quando se trata de metodologias e resultados. Muitas vezes, mostram as mesmas tendências gerais, mas os números de participação globais que fornecem para cada navegador são significativamente diferentes…” (tradução livre para o português). O diretor ressaltou ainda em sua resposta todas as discrepâncias as quais se referia.

guerra dos browsers
 Imagem a respeito da guerra dos browsers utilizada por Roger Capriotti em seu post em resposta à StatCounter. À esquerda, gráfico que mostra o uso dos browsers de forma “não-ponderada” (unweighted), ou seja, não estudada a fundo. No gráfico da direita, está demonstrado o uso ponderado.

Vendo essa contestação, a mais recente notícia a respeito do assunto foi divulgada pela StatCounter, que disponibilizou semana passada uma longa carta aberta em seu próprio site, mostrando por meio de gráficos e dados cada um dos erros e omissões existentes no post de Capriotti. Abaixo, trecho da carta divulgada pela empresa em resposta à Microsoft:

“Querido Roger, há exatamente três meses atrás, você postou no blog do Internet Explorer o artigo ‘Noções básicas sobre dados de uso do navegador social’. Nesse post, você comparou estatísticas globais da StatCounter e dados da Net Applications. No período de intervenção, tivemos várias perguntas da imprensa sobre o seu post (que critica a nossa metodologia e resultados). Inicialmente, nós não prestamos muita atenção ao seu artigo. No entanto, com essas investigações ainda transcorrendo, temos agora que abordar explicitamente os pontos que você levantou…” (tradução livre para o português).

 Confira mais detalhes da carta no vídeo abaixo:

A guerra dos browsers está dando o que falar! Principalmente porque tem trazido diversos benefícios aos usuários da internet. Quanto mais os navegadores concorrem entre si, mais mudanças e avanços são lançados, ou seja, podemos usufruir da situação. Mas, afinal, quem está certo nessa história sem fim? Podemos afirmar uma coisa: só temos a ganhar com isso tudo!

E você, o que acha da guerra dos browsers? Arriscaria um palpite sobre o próximo passo?


Você também pode conferir na íntegra:

Pesquisa da StatCounter

Resposta da Microsoft por meio de Roger Capriotti

Carta aberta da StatCounter