Com a poeira da recente briga entre a Adobe e a Apple começando a baixar,  trazemos aqui para o blog a questão que ainda não foi respondida: O HTML5, a próxima versão da linguagem de páginas da web, será capaz de substituir o Flash, hoje presente em 98% dos computadores?

Entenda o debate:

O fato do Iphone e Ipad não suportarem o Adobe Flash é uma decisão de Steve Jobs, CEO da Apple. Ele alega ser uma tecnologia ultrapassada que será substituída em breve pelo HTML5, interpretado diretamente pelos navegadores.

A Adobe, em resposta, afirma que o Flash se tornou uma linguagem de programação capaz de funcionar em uma grande variedade de sistemas operacionais e navegadores, tornando-se a escolha mais adequada para conteúdos multimídia em várias plataformas.

A discussão é comercial, não tecnológica. O Flash permite que um desenvolvedor crie um aplicativo que rode em diversos dispositivos móveis e em computadores, enquanto a Apple prefere que os aplicativos desenvolvidos para Iphone e Ipad sejam exclusivos.

Escolhendo lados

Muitos adotaram posturas a favor de uma ou outra empresa, acelerando um debate que já vinha surgindo lentamente entre webdesigners. De um lado temos o avanço de linguagens e frameworks como HTML5, javascript, jquery, mootools e css3, cada vez mais bem suportados pelos navegadores, permitindo uma liberdade criativa cada vez maior nas páginas.

De outro, temos o Flash, uma plataforma consolidada para o suporte de multimídia e aplicativos, otimizada para aproveitar da melhor maneira possível o poder de processamento e gerenciamento de energia tanto de desktops quanto de dispositivos móveis.

Exemplos

Há galerias sobre o HTML5 publicadas pela Apple, pela Microsoft e pela Mozilla.

No HTML5 vs Flash você confere alguns exemplos que procuram comparar o desempenho de ambos.

E finalmente, no Flashlab há uma comparação mostrando que os exemplos com HTML5 que a Apple mostrou em seu site são possíveis com o Flash há mais de dez anos, e o que é possível com a tecnologia hoje.

Na Sawi, acreditamos que todas as ferramentas têm seus pontos fortes e fracos. Por isso procuramos aproveitar o melhor de cada uma delas, de acordo com o projeto, otimizado para os navegadores atuais.

E você, o que acha do futuro? Há espaço para o Flash, ou ele será aposentado por essas novas linguagens?