Não seria maravilhoso se o Google pudesse entender que as palavras digitadas no campo de análise não são somente palavras? Imagine se o maior site de pesquisa do mundo compreendesse essas buscas como algo além de apenas letras, sendo coisas reais, com formas, tamanhos e sentidos.

O Google está lançando uma das mais ambiciosas e interessantes atualizações em seu sistema nos meses atuais. Logo você começará a ver grandes painéis com informações adicionais sobre o tópico que está pesquisando, situados ao lado direito da página de resultados de busca. Esse é o “Knowledge Graph” (conhecimento gráfico, em português), um sistema criado para duas funções: mostrar a você um índice de informações relevantes a respeito de sua pesquisa (dados biológicos de celebridades e figuras históricas, datas importantes sobre artistas, informações sobre livros e leituras similares, entre outros), bem como listar uma série de tópicos relacionados à sua busca.

Sem parar por aí, o Google agora também vai permitir clarear ainda mais a sua pesquisa e vai utilizar-se disso de forma benéfica para todos. Assim, você logo será capaz de contar ao buscador que procura por “Pelé” e não por “Henrique VIII” ao digitar a palavra “rei”. A empresa atua nessa tecnologia de conhecimento gráfico já há alguns anos. Nesse tempo, vem trabalhando duro na criação de vínculos entre os dados, aperfeiçoando os atrativos em seu lançamento.


Knowledge Graph
                                                 Exemplo de busca com o recurso Knowledge Graph, já disponível no Google.com

Atualmente, a base de dados do “Knowledge Graph” contém informações de 500 milhões de pessoas, lugares e coisas. E, mais importante ainda, possui indexados mais de 3.5 bilhões de atributos e conexões entre esses itens. Ou seja, o Google não somente conhece a informação e a estuda, como cria uma rede sem fim. Imagine só: se o buscador conhece a palavra “televisão”, e também a palavra “Neymar”, ele faz associações entre esses dois em sua cadeia, mostrando a você, por exemplo, que o Neymar curte assistir o Globo Esporte na televisão Panasonic 3D de sua casa.

Dessa forma, ao fazer pesquisas constantes no Google, o site começa a traçar um perfil sobre a sua pessoa e seus interesses. A partir disso, seleciona o que acha relevante colocar em seu banco de dados, disponibilizando informações relacionadas à identidade criada. Simplesmente demais!

Com a capacidade da equipe Google, e não duvidem dela, essa mais nova ferramenta pode se tornar obsoleta antes mesmo do que você imagina. A questão é: em quanto tempo? Você arriscaria um palpite?

Se quiser ver informações adicionais sobre o Knowledge Graph, clique aqui.